QUEM
SOMOS

Nossa equipe é formada por profissionais altamente capacitados e dispõe de equipamentos de alta tecnologia para atender os pacientes da melhor forma, sempre respeitando as individualidades.

23

Cirurgia Cardíaca

CURRÍCULO

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Triângulo Mineiro (1991), é especialista em Cirurgia Cardiovascular pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e membro Habilitado do Departamento de Estimulação Cardíaca Artificial (DECA). Atua em todas as áreas da Cirurgia Cardíaca, incluindo transplantes, marca-passo, cirurgias convencionais e endovasculares da aorta torácica.

12

Cirurgia Cardíaca

CURRÍCULO

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (1991). Atualmente é Médico Contratado da Fundação Faculdade Regional de Medicina de São José do Rio Preto (Hospital de Base). Tem experiência na área de Cirurgia Cardiovascular, com ênfase em Cirurgia Cardíaca

26

Cirurgia Cardíaca

CURRÍCULO

Graduado em Medicina pela Faculdade de Medicina de Marília (1996). Atualmente é consultor ad hoc da Agência Nacional de Vigilância Sanitária Ministério da Saúde e médico cirurgião cardíaco do Instituto Pró-Cardíaco de São José do Rio Preto, da Fundação Faculdade Regional de Medicina de São José do Rio Preto, da Santa Casa de Votuporanga, Santa Casa de Barretos e Hospital São Marcos de Uberaba. Tem experiência na área de Medicina, com ênfase em Cirurgia Cardíaca e é revisor da revista brasileira de cirurgia cardiovascular.

O primeiro passo para a realização de uma cirurgia cardíaca é consultar o cardiologista para avaliação e diagnóstico do problema, realização de exames que garantem um bom preparo físico para a cirurgia e demais esclarecimentos e orientações para que o paciente tenha um bom pré e pós-operatório.

Quanto mais tranquilo for esse processo, mais tranquila será a recuperação. É importante lembrar que as orientações são individuais entre os pacientes. Elas dependem do tipo de cirurgia cardíaca que será realizada, do estado de saúde do paciente e de uma série de fatores que influenciam diretamente na operação.

Agende agora uma avaliação com um de nossos cardiologistas para verificar qual o seu caso.

Depois de consultar seu cirurgião e realizar os exames de avaliação necessários, é importante que o paciente siga com muito cuidado e responsabilidade as orientações passadas pelo profissional.

É possível que, durante o período de preparação para a cirurgia, alguns medicamentos sejam suspensos, ou que outros sejam incluídos em sua rotina.

O paciente vai receber uma cartilha com as orientações sobre medicamentos e práticas que devem seguir, com as especificações de quantidades e datas de seu início e término.

Para ter um procedimento cirúrgico tranquilo, é necessário que o paciente tenha seguido as orientações médicas e que fique atento a alguns sinais, com por exemplo intercorrências como dores no peito, fadiga, mal estar, dias antes da cirurgia. Em casos assim, é muito importante que o paciente não hesite e pergunte, informe e peça orientação para o profissional que o está acompanhando. Em casos de tratamentos dentários e fumantes, o cuidado deve ser maior. Consulte seu médico para entender mais sobre o processo.

A internação para o procedimento geralmente ocorre no dia anterior. O paciente deve comparecer ao hospital no horário marcado com seus documentos, pertences pessoais e de higiene básica. Durante a espera, o paciente passará por mais uma avaliação, acompanhamento médico e terá um período de jejum para a cirurgia. Haverá sempre uma equipe acompanhando o paciente durante o processo de preparação, até o momento em que o paciente é levado para o centro cirúrgico.

Após a cirurgia o paciente é encaminhado para a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo), por no mínimo dois dias. No pós-operatório é comum que o paciente faça uso de tubo respiratório, drenos, marca-passo provisório e sondas. É importante a colaboração do mesmo na ingestão dos medicamentos e alimentos oferecidos pela equipe médica para que a recuperação siga tranquilamente. Ao receber a liberação da UTI, o paciente ainda deve permanecer alguns dias no hospital para avaliação. A equipe médica vai orientar o paciente sobre cuidados com a higiene pessoal, alimentação, medicação, cicatrização dos pontos e repouso assim que a alta for concedida.

É importante lembrar que os diagnósticos são individuais. Porém alguns fatores podem influenciar e aumentar as chances de problemas no coração.

Conheça alguns fatores de risco:

  • Histórico familiar de doença cardíaca
  • Tabagismo
  • Pressão arterial alta
  • Alto colesterol LDL "mau" e baixo colesterol HDL "bom"
  • Diabetes
  • Estar acima do peso ou obeso
  • Sedentarismo

ÁREAS DE ATUAÇÃO

  • São José do Rio Preto
  • Votuporanga
  • Barretos
  • Fernandópolis
  • Araçatuba
  • Sinope
  • Cuiabá

FIQUE POR DENTRO DAS NOTÍCIAS DO MEIO MÉDICO

ACESSE O BLOG!

Clique Aqui

ACESSE NOSSA PÁGINA

INSTITUTO PRÓ-CARDÍACO